quarta-feira, 30 de julho de 2008

Variáveis de tempo e espaço

Espaço e tempo são as grandezas que regem nossa existência neste plano, medindo o quanto vivemos e as dimensões do mundo em que vivemos. Embora pareçam muito diferentes, a maneira como as percorremos é semelhante: assim como ando 1km, 1 hora se passa, para que eu percorra tal distância, suponhamos. Às 15:08:47 do dia 30 de Julho de 2008 DC, no local de coordenadas 12°50'57.97" S 38°31'00.36" O, tem um sujeito escrevendo umas bobagens para postar num blog de nome esquisito. Nem antes nem depois, naquele local, nem mais ao Sul nem mais ao Norte, àquela hora. Tudo que acontece neste planeta e adjacências está preso a esta variável de tempo e espaço. As retas deste verdadeiro plano cartesiano, X (tempo) e Y (espaço) são infinitas, até que se prove o contrário. Ora, se o Universo é infinito, a única unidade de medida de tempo aí aplicável para percorrê-lo é a eternidade...

Nosso mundo tem essa particularidade, de podermos ir e voltar, no espaço, mas nunca no tempo. Não podemos voltar no tempo e desfazer algo que fizemos, mas podemos voltar a um lugar e pegar algo que esquecemos. Fico imaginando se existe algum lugar nesse vasto Universo onde se pode voltar no tempo, mas não no espaço. Não saberia explicar tal realidade, mas posso dizer que o tempo não existe de fato, e que o espaço não tem tamanho definido. Tudo depende de uma referência. 1000km é uma distância muito grande para se percorrer a pé, mas é muito curta para se percorrer com um jato. A pirâmide de Quéops, no Egito, é a mais alta do mundo, mas se comparada ao monte Everest, ela é minúscula. 1 segundo pode não parecer nada para a maioria das pessoas, mas pode fazer diferença no podium de um GP de Fórmula 1. Quando dormimos, não sentimos o tempo passar, assim como o tempo não passa para uma sequóia milenar do mesmo jeito que passa para nós humanos. O tempo existe apenas para quem pode senti-lo, afinal, o que nos faz percebê-lo é o envelhecimento de nossos corpos e do ambiente ao nosso redor, os ciclos de nascimento, amadurecimento e morte, os movimentos de rotação e translação, mas no fim das contas, os dias são essencialmente iguais. E se houvesse três sóis ao nosso redor, que nunca deixassem anoitecer? Tudo seria igual, não haveria a noção do passar dos dias.

Com o espaço é a mesma coisa. A galáxia onde vivemos pode ser microscópica para um ser de dimensões incomensuráveis, grande o suficiente para tanto. E este mesmo ser poderia ser igualmente microscópico, para um ser incomensuravelmente maior do que ele. Onde está a nossa vasta Via Láctea? Ela não é nada... Ainda assim, nós seres humanos estamos condenados a nos sentir pequenos neste planeta, o que na verdade não quer dizer nada. O Universo inteiro poderia ser tão grande (ou pequeno) como o nosso planeta, para seres proporcionalmente pequenos para ele, e grandes para nós. O infinito não é tão grande a ponto de esmigalhar o que de menor tem em si. Um grão de areia ocupa seu lugar no Universo, por menor que seja. Da mesma forma, a eternidade não pode obliterar um segundo do mínimo ato que foi feito em seu decorrer. Tudo está salvo. Condenados ou não a perdermos tudo o que alcançamos e sermos varridos pela imensidão do tempo e espaço, como se jamais tivéssemos existido, tudo o que fizemos e tudo o que tínhamos está em algum lugar do espaço-tempo. Basta haver meios de locomovermo-nos através de suas coordenadas cartesianas, como X = 15:08:47 de 30 de Julho de 2008 DC , Y = 12°50'57.97" S 38°31'00.36" O...



-Variables of time and space

Time and space are the magnitudes that rule our existence in this plan, measuring how much we live and the dimensions of the world where we live. Although they may look very different from each other, the way we compass them is similar: just like I walk 1km, 1 hour is elapsed, in order to cross this distance, let’s suppose. At 03:08:47pm, of july 30, 2008 AD, at the coordinates 12°50'57.97" S 38°31'00.36" W, there’s a slob writing some blurbs in order to post something at a weird named blog. Neither before, nor after, at that place, neither southernwards or northernwards from there, at that hour. Everything that happens in this planet and around it, is bound to the variable of time and space. The lines of this true cartesian coordinate system, X (time) and Y (space) are infinite, until opposite is proven. Well, if Universe is infinite, the only measurement unit applicable to encompass it is eternity...

Our world has this particularity, where we can go and come back, in the space, but never in the time. We cannot go back in time, and undo something we did, but we can come back to a place and get back something that we forgot. I keep imagining if there is a place in this enormous Universe where one can go back in time, but not in space. I wouldn’t know to explain such reality, but I can tell that time doesn’t really exist, and space itself doesn’t have an actual size. Everything depends on a reference point. 1000km is a very big distance to be run on foot, but it’s pretty short to be flown by a jet. The Cheops pyramid in Egypt is the world’s tallest, but if compared to mount Everest, it’s minuscule. 1 second may not seem a lot of time for most of people, but it can make the different at the podium of a Formula 1 GP. When we sleep, we don’t feel time elapsing, just like time doesn’t elapse for a millenarian sequoia likewise it elapses for us humans. Time exists only for those able to feel it, after all, what makes us feel it is the aging of our bodies and the enviroment around us, the cycles of birth, raise and death, the movements of rotation and translation, but eventually the days are basically equal. What if there were three suns around us, that would never let night come over? Everything would be equal, there wouldn’t be a notion of days elapsing.

It’s the same about space. The galaxy where we live may be microscopic for a being of unmeasureable dimensions, big enough for that. And this given being could be just as microscopical compared to another being, unmeasureably bigger than him. Where is our Milky Way? It is nothing... But then, we human beings are doomed to feel ourselves small in this world, what, as a matter of fact, doesn’t mean a thing. The whole Universe could be as big (or as small) as our planet, for proportional sized beings. The infinite isn’t big enough to overwhelm even the smallest thing within itself. A sand grain occupies its place in the Universe, even being so small. In the same way, eternity can’t erase even a second of the minimal act that was made during its extent. Everything is saved. Doomed or not to lose everything we’ve reached, and be wiped out by the enormousness of time and space, as if we had never existed, everything that we’ve done and everything we had will be somewhere in the space-time. Let there just be means of locomotion throughout its cartesian coordinates, such as X = 03:08:47pm, of july 30, 2008 AD, Y = 12°50'57.97" S 38°31'00.36" W...

Um comentário:

damaphada disse...

Falta atualização por aqui....